segunda-feira, abril 03, 2006

Ridiculo

Hoje recebi um e-mail que de estupido para ridiculo tem tudo e nao posso deixar de mostrar as pessoas tal informacao... (J.)
Os Stella Awards são prémios conferidos anualmente aos casos mais bizarros de processos judiciais nos Estados Unidos. Têm este nome em homenagem a Stella Liebeck, que derramou café quente no colo e processou, com sucesso, o McDonald's, recebendo quase 3 milhões de dólares de indemnização... Desde então, os Stella Awards existem como instituição independente, publicando e "premiando" os casos de maior abuso do já folclórico sistema judicial norte-americano. Este ano, os vencedores foram: 5.º lugar (empatado): Kathleen Robertson, de Austin, Texas, recebeu 780.000 dólares de indemnização duma loja de móveis, por ter partido o tornozelo ao tropeçar numa criancinha que corria à solta na loja. A criança descontrolada era o próprio filho da sra Robertson... Terrence Dickinson, de Bristol, Pensilvânia, estava saindo pela garagem duma casa que acabara de roubar. Não conseguiu abrir a porta da garagem, porque o sistema automático tinha defeito. Não conseguiu entrar de volta na casa, porque a porta já se fechara por dentro. A família estava de férias e o sr. Dickinson ficou trancado na garagem por 8 dias, comendo ração para cães. Processou o proprietário da casa, alegando que a situação lhe causou profunda angústia mental. Recebeu 500.000 dólares de indemnização... 4.º lugar: Jerry Williams, de Little Rock, Arkansas, foi indemnizado com 14.500 dólares, mais despesas médicas, depois de ter sido mordido pelo beagle do vizinho. O cão estava preso, do outro lado da cerca, mas ainda assim reagiu com violência quando o sr. Williams pulou a cerca e disparou >>repetidamente contra ele, com uma pressão de ar... 3º lugar: Um restaurante de Filadélfia foi condenado a pagar 113.500 dólares a Amber Carson, de Lancaster, Pensilvânia, por ela ter escorregado e fracturado o cóccix. O chão estava molhado porque, segundos antes, a própria Amber Carson tinha atirado um copo de refrigerante contra o namorado, durante uma discussão... 2.º lugar: Kara Walton, de Claymont, Delaware, processou o proprietário duma casa de diversão nocturna por ter caído da janela da casa de banho, partindo os dois dentes da frente. Tentava escapar do bar sem pagar a despesa de 3,50 dólares. Recebeu 12.000 dólares de indemnização, mais despesas dentárias... 1.º lugar: O grande vencedor do ano foi o sr. Merv Grazinski, de Oklahoma City, Oklahoma. O sr. Grazinski tinha acabado de comprar um Chrysler Motorhome Winnebago automático e regressava sózinho dum jogo de futebol Na estrada, activou o "control cruiser" do carro para 100 km/h, abandonou o banco do motorista e foi para a traseira do veículo preparar um café. Como era de esperar, o veículo despistou-se, bateu e capotou. O sr. Grazinski processou a Chrysler por não explicar no manual que o "control cruiser" não permitia que o motorista abandonasse o volante.O júri concedeu-lhe a indenização de 1.750.000 dólares, mais um Chrysler novo do mesmo modelo. A construtora mudou todos os manuais de proprietário a partir deste processo, para se acautelar contra qualquer outro atrasado mental que comprasse um Chrysler

sábado, março 25, 2006

My haircut

Thanks for your comment in the first part of the story fisherman but i have to tell what i felt. The truth is that it was really a good saloon or at least the view was good cause what they did to me... No words for that or at least no good words. They girl was very nice and tried to make conversation while she was trying to cut my hair "Try is the right word" but unfortunatly i can only give credit for the effort cause the result was pretty bad. I just looked like a girl with that hair and for a better result she took me to the machine where womans dry their hair (i dont know how to call it) where i could just feel that the girly pack treatment was completed. After that i just left and as i arrived home i just asked a friend to cut my hair and the non experienced guy just did a great job... So sorry for the good hairdressers in Slvk. but i just prefer a normal man cut.

J.

quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Problems...

Problems...
They sometimes makes us change
As they appear and disappear
Sometimes we try to face them
But then appears the fear
Some people close their eyes
And hope its a dream
Others show courage and say
"Bad, it doesnt seem"
One thing is for sure
Each decide what to do
So whatever you choose
Just try to make it through.

J.

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

I want to cut my hair?

Today i went to a hair salon where i thought they would cut my hair but i was wrong. You see here in this country when you enter in a hair salon you might want a lollipop or a juice cause when i asked them to cut my hair they looked like they didnt understood (Yes, until here i understand) but the problem was when they simply ignored my existence and continued chatting. I was like pointing to my hair doing scissors with my fingers and even though they didnt move (I just thought that was impossible to believe that they didnt understand what i was trying to explain cause they dont do that much things in a salon, and even if they do the scissors symbol with the fingers is universal). This is like saying that i cant cut my hair cause i dont speak their language. Its bull.... Well after 10 minutes of standing up just looking to the workers i decided to leave cause i just had more things to do at that time but now im quite ansious to go back and try it again. Im just imagining how will it be.

J.

domingo, fevereiro 19, 2006

Posso apagar a luz?

Antes de poder contar esta historia tenho que vos explicar como surgiu tudo nao va haver mas interpretacoes. Tudo comecou numa viagem de autocarro para bratislava, com uma escolha estrategica de lugares. Sentamo-nos atras de duas raparigas que ate tinham a sua pinta e comecamos a falar ingles numa conversa no minimo estupida (falavamos de possiveis traducoes do bilhete de eslvk para ingles) ate que uma delas por caridade se voltou para tras e nos explicou o que significava. Nos nao pudemos deixar escapar tal oportunidade e decidimos comecar a falar com elas. Sei que ainda falamos muito mas o importante nisto tudo e que tem relevo na historia foi o facto de uma delas se ter oferecido para me dar aulas de eslvk. A partir dai combinamos sitios e efectivamente comecei a aprender um pouco da lingua. (Meus amigos devo dizer que a minha intencao foi sempre aprender a lingua e nao outras coisas que voces poderao pensar)
Agora que ja sabem a origem de tudo vou-vos contar uma peripecia que surgiu no seguimento desta historia:

Dia escuro, encontrava-me sozinho em Ntr. (visto que o meu companheiro se encontrava no pais de origem a tratar das suas coisas) e recebo um convite para estudar. Claro que eu como nos outros dias aceitei e encontrei-me com ela no sitio combinado. Falamos obviamente de coisas banais em eslvk mas incrivelmente ficamos la desde as 6 da tarde ate as 10 e 30 da noite (e verdade nao me perguntem como mas falamos este tempo todo). Quando vi as horas pensei logo em ir para casa mas de repente ela diz-me que perdeu o ultimo autocarro para casa e nao tem onde dormir. Eu claro ofereci a minha "casa" sem problemas nenhuns ate porque outra coisa nao se poderia esperar da minha parte. Fomos para casa e mostrei-lhe o quarto, pousando ela as suas coisas (E aqui comecou a verdadeira historia)... nomeadamente um pedaco de roupa interior retirando-se de seguida para a casa de banho. Eu estava a comecar a achar tudo muito estranho mas como temos culturas diferentes nao liguei (ainda pedi ao fisherman para me ajudar a arranjar um esquema de ela dormir sozinha no quarto nao fosse haver mal entendidos mas ele estava mais na onda de se rir e contrariar tal possibilidade). Ela voltou ao quarto e falamos ate as 3 da manha com ela apenas com uma parte de cima sem soutien e uma tanga laranja. Depois de tanto falar ela vira-se para mim e diz-me (nao achas que ja nao vale a pena dormir) e eu respondi que (Que era melhor dormirmos porque tinha coisas importantes para fazer no dia seguinte) respondendo ela de seguida (mas o que e que fazemos agora?). Eu ouvindo isto disse vamos dormir matando logo de seguida com um (posso apagar a luz?). Assim foi apaguei a luz e dormimos voltando tudo ao normal no dia a seguir. Claro que fui insultado por algumas pessoas que conheco por tal comportamento e que muitos de voces me estao a chamar coisas mas simplesmente e algo que eu remato com um.... SEM COMENTARIOS.

J.

sexta-feira, fevereiro 17, 2006

sueňos erasmus

Intentando dormir en la madriguera de los osos peludos...
ronquidos que bufan en la noche...
Rizitos con la gaja en mi cuarto, soňando a ser un hombre de los de verdad, de los que dejan hacer el trabajo bien hecho sin oponer resistencia.
Mientras tanto, Fisherman, con una pastilla (lavativa para vacas y elefantes) en el estómago, debatiéndose en la cama (qué calor axfisiante)... se me estaba practicando un exorcismo sin darme cuenta, a ver si el Mal eslovaco salía de mis entraňas... me quedaba sin voz, sin pulmones, y la fiebre comenzaba a ascender.
Entretanto uno soňaba...

...me veía envuelto en una aventura de sexo con BC y la tal E. Veía a BC de costado, fumándose un cigarrito, diciéndome que siguiera yo con el tema, que la cosa no daba más de sí con aquel saco de patatas. Yo lo intentaba por todos los medios pero la gaja que no se excitaba, con cuidado de que el gran magnífico no se rasgara, tal era la fuerza de mis sacudidas.

Y luego otra escenita... aparecía en la pantalla del computador una lista con tres nombres, afectados por la gripe aviar. Dos eran de procedencia eslovaca, el otro tenía apellidos espaňoles y aparecía con un punto rojo de máxima premura. "Y qué hago ahora?", le preguntaba a BC. "Pá, tens que ir ao médico", contestaba como si la cosa no fuera urgente.
Y con razón, que andamos todos los días tras la carne de pollo sin remordimientos...

Me despierta por fin Rizitos, fala y fala de algo con el profe, del encuentro con la gaja, que aquél pensaba que se trataba de su namorada... y de aquí para allá, abriendo armarios, buscando unos jerseys, con soniquete de llaves incluido.
Menos mal que cuando decidió abrir la ventana porque según él, "o quarto cheira muito a tabaco", ya no estaba yo allí para sentir el frío en las pelotillas.

Fisherman

sábado, fevereiro 11, 2006

hay cosas que no se entienden...

...como el hecho de que al ir a la piscina la vieja nos tenga que ver la cola cada vez que nos cambiamos la ropa, o que tengamos que quitarnos los zapatos antes de entrar, por la higiene, y luego dentro de la piscina, la gente a veces va sin gorro reglamentario y no pasa ná.
Y luego al salir, lo mismo: aguántate con los calcetinitos puestos hasta la zona de salida, porque la vieja si te ve con los zapatos puestos comienza a decir palabras ininteligibles para un espaňol o un portugués.

...como aquello de que los días de exámenes la gente va de etiqueta, corbatita y pantalones de pinzas con zapatitos relucientes... sólo para tener buena presencia. Pode ser o maior burro da classe mas nao se podem queixar que va mal vestido. Nos pensamos que a presenca tambem vale uma nota (sobre todo si la gaja lleva minifalda -minisaia- y un escote que imanta la mirada).

...o como el tema de los semáforos. No sé, pero en Espaňa los semáforos funcionan de manera complementaria: cuando los coches pasan, los peatones esperan y viceversa.
Aquí la cosa no funciona así. Hay un intervalo de tiempo, unos minutos en los que no sucede nada. Rojo para los coches, rojo también para peatones. Nadie se atreve a pasar.
Lo peor es que cuando se pone por fin en verde para los peatones apenas unos segundos más tarde vuelve a ponerse en rojo.
No entiendo por qué no se regula mejor el tiempo de los semáforos para que ni haya momentos de suspense ni tampoco se provoque un infarto al tener que pasar corriendo.

Fisherman



Is this Trn...?

Last week we went to make a travel to know this new country that we see as quite different and Trn... was the chosen place. We took the bus in Ntr. were we live and we began our way to it. Of course the talk with the bus driver is always a must (I recommend it for anyone that comes to slv... they are a symbol here) cause we are half an hour to make ourselves understandable as he looks like we are from another planet. After this, the journey was quite calm except for the moment of a video directed by the FISHERMAN (That for those that dont know him will launch shortly some small films in the underground market) that was about the main objectives and sensations we wanted for that trip. We were all talking when the bus stopped and i said (Lets go this is Trn...) we took our things and began to move out as everyone was looking kind of strange to us. As 2 of us went out the director of the film decided (just for curiosity) to ask to the bus driver (Is this Trn...?) as he with a closed and hard face told (Nie, to je Ser..). He looked to us begun to call us cause we were already far ( he was like a guy lost in the sea with arms up and waving, quite strange in fact). We went up to the bus again with faces like (yeah it happens) as everyone in the bus laughed like there wasnt no tomorrow. It was quite an interesting experience cause we felt like real comedian actors. My recommendation is try it one day!

J.

terça-feira, janeiro 31, 2006

Bizarro

Verdade seja dita que desde que chegamos que somos vistos de maneira diferente mas ate agora isso era algo que pensavamos dever-se ao facto de sermos estrangeiros (Que optimistas que nos somos). Pois e, isto mudou quando comecamos a frequentar um mini centro comercial aqui da zona nomeadamente um potraviny (supermecado na lingua de ca) que tinha sempre um seguranca destinado a acompanhar-nos durante as nossas compras. Eramos seguidos durante todo o tempo quer fossemos para a zona das massas, carne ou produtos de limpeza (Ele era o nosso anjo da guarda). Houve entao um dia que combinamos encontrarmo-nos com um amigo a frente de uma loja e devido ao frio que se fazia sentir (-10 graus celsius) decidimos esperar no hall de entrada do centro comercial. Estavamos la numa boa quando de repente uma senhora aparece a olhar de lado para nos (nos ate comentamos mas nao ligamos) depois esta vai de encontro a outra senhora (florista que trabalhava no local) e ambas comentam a nossa presenca (Deviam estar a perguntar que flores raras eram estas:)). Nos ja um bocado a nora so nos riamos porque elas disfarcavam muito mal o facto de olharem para nos (chegando ao cumulo de uma delas se meter atras de uma especie de pilar a olhar pra nos... Parecia um 007 feito pelo Mr Bean). O tempo ia passando e uma delas foi-se embora. Nos pensamos que ja se tinham fartado de olhar aqui para os meninos como se fossem atraccoes do circo mas de repente (XARANNNN:::::) surge um seguranca a falar conosco na lingua de ca e a apontar para a rua (nao quisemos acreditar... entao a senhora foi chamar o seguranca para nos expulsar do hall de um centro comercial como se fossemos marginais???? Que pais e este em que nao se pode esperar dentro de um centro comercial porque alguem nao nos gosta de la ver?). Enfim saimos sem armar estrilho e esperamos pelo nosso amigo num ambiente que nos proporcionou uma nova experiencia (o tremer sem querer).

J.

segunda-feira, janeiro 23, 2006

Um oficial de instintos

Como sabem estamos num pais estrangeiro e como tal necessitamos de ter permissão de residencia para aqui podermos permanecer. Assim sendo tivemos que nos dirigir á Foreign Police Office como aqui é chamada onde preenchemos uns papeis com todos os nossos dados e onde nos disseram que estes estariam prontos em um mês. Mês passado aparecemos lá nós, entramos e o polícia de serviço pede-nos os passaportos e os recibos (ate aqui tudo normal). Depois de os ver retira 3 processos (um correspondente a cada um de nós) abrindo de imediato um deles. Olha para a foto e pelo que pude constatar era o meu processo entao que decide ele fazer???? Decidiu pegar no passaporte ( pressuponho eu para confirmar os dados) dizendo de seguida para mim que aquele passaporte não era meu. Bem digamos que fiquei preocupado (sou sincero a foto do passaporte tinha 2 anos mas dai a não ser minha vai um grande salto). Eu um bocado nervoso com a situação comeco a retirar todos os cartões de identificação que tinha na carteira e ele olhando para todos dizia que o passaporte não era meu mas que era de algum amigo meu. Estavamos os 3 de boca aberta a olhar para o "chefe" a dizer com toda a confiança que aquele passaporte não era meu e assim ficamos por 10 minutos. Perante tal impasse decidi pedir pra ver o passaporte para lhe mostrar os dados iguais aos meus cartões mas... (e aqui começa o rídiculo) surpresa minha quando ao olhar vejo a foto do meu amigo que estava mesmo ali ao lado (Paralisei... sendo que só me apetecia rir... Como era possível que ele ao ver que o passaporte não era meu, não tenha trocado por outro que estava na mesa. Pior que isso ainda foi o facto do meu amigo estar ali ao meu lado, bastava ter olhado para ele para saber que tinha o passaporte errado nas mãos). Virei-me então para o man e disse que aquele passaporte era do meu amigo que estava ao meu lado e que o meu era um dos outros 2 que estava na mesa (adivinhem o que ele fez?)... Encheu o peito de ar e disse "EU BEM TINHA DITO QUE ESTE PASSAPORTE ERA DE UM AMIGO TEU". Pff... Nem quis comentar, o gajo é que foi o otário e no fim fez-se de campeão. Bem a partir daqui o policia lá tratou dos papeis de dois de nós sem grandes problemas mas quando chegou a vez do "Fisherman" ele disse que aquele processo não era o dele e que não encontrava o dele (A saga recomeçou). Nós nem quisemos acreditar que isto ia dar outra vez confusão até que ele já farto de nos ver lá dentro (eu e o meu amigo já despachados) mandou-nos sair e esperar lá fora. Passados 10 minutos estava ele ca fora com os papéis e adivinhem o que se passou???? (Aquele era o processo dele mas como os 2 primeiros que ele atendeu eram portugueses ele deduziu que o terceiro tb seria e mesmo com o nome a corresponder ele dizia que aquele processo não era dele porque o processo era de um espanhol. E melhor ainda é o facto de o passaporte que ele tinha na mão dizer nacionalidade espanhola mas atenção o policia confiou antes nos seus instintos que á instantes atrás lhe tinham dado o estatuto de herói). Digamos que aqui encontrámos o verdadeiro OFICIAL de INSTINTOS!!!

J.